Passar para o Conteúdo Principal
Voltar ao início

Lindoso



  • Presidente
    Secundino do Canto Fernandes

  • Secretário
  • Tesoureiro
Morada
Castelo

Localidade
Lindoso

Código Postal
4980 - 451 Ponte da Barca

Telefone
258 578 141

Email
juntadefreguesialindoso@ hotmail.com

HomePage
http://freguesiadelindoso.com
História

Aglomerado Rural do Lindoso - Este aglomerado destaca-se pela sua importância histórica na defesa da fronteira portuguesa, desde os tempos da criação da nacionalidade. Tem como principais atributos o Castelo do Lindoso e um dos maiores e melhores preservados conjuntos de espigueiros. Este aglomerado foi objecto de recentes requalificações.

Castelo do Lindoso e Museu - Acede-se a este monumento a partir da E.N. 203, a 23Km da vila de Ponte da Barca.

O Castelo de Lindoso, com classificação de Monumento Nacional, situa-se sobre um pequeno outeiro rochoso, ao lado da povoação, merecendo uma paragem e um olhar mais atento. É uma construção do reinado de D. Afonso III, estando encoberto por baluartes e obras defensivas do século XVII. (IHRU; IGESPAR)

« (...) Trata-se de um pequeno quadrilátero, irregular, com esquinas arredondadas para evitar ângulos mortos. Esta mo­dalidade oferece também uma maior resistência e faculta uma melhor defesa. Duas torres, quadrangulares, defendem a porta de armas, virada à povoação. No lado oposto, substitu­indo aí a cerca, temos a torre de menagem, relativamente ampla se bem que baixa. Ao seu lado, no sítio da atual entrada, refeita na Época Moderna, deve ter existido a porta da traição. Embora a cerca deste castelo tenha ainda um aspeto românico, dado não ter torres defensivas a flanqueá-la, nem mesmo nas suas esquinas, temos a convicção de que deve ser considerada como obra já gótica, devido ao facto da torre de menagem estar inte­grada na cerca e no adarve e por causa dos seus matacães. (...) A porta de armas, pela solução gótica que apresenta e pelo escudo que a encima, sugere-nos a época de D. Afonso III, como data da construção desta obra, o que as siglas multiplicadas também indiciam.

No seu interior, além da cisterna, há construções modernas com bastante interesse arqueológico. O mesmo diremos para as obras defensivas e baluartes que o contornam». (Almeida, p. 124,1987)

O museu, localizado no interior do castelo, possui na sala de armas da torre uma coleção de armas cedida pelo Museu Militar do Porto. Esta coleção engloba peças que vão desde o século XIV ao século XIX. Na Sala do Forno existe uma coleção de arqueologia do território do Lindoso – da pré-história aos nossos dias. Trata-se de um espólio arqueológico proveniente de estações escavadas na área envolvente do castelo do Lindoso.

Conjunto de Espigueiros do Lindoso -Este conjunto localiza-se junto ao Castelo e Cruzeiro de Lindoso. O conjunto de espigueiros do Lindoso (datável do século XVIII) e respetivo local onde se implantam, estão classificados como Imóvel de Interesse Público. (IGESPAR)

« Ao lado do Castelo há o interessante Largo dos Espigueiros. Todos os celeiros dos moradores da velha po­voação aí se concentram. São airosos e de esmerada mão de obra quase todos. Tem-se a impressão, em face de cada um, que se trata de um cofreforte medievo, talhado em granito. O conjunto, com todas as suas cruzes, todos os seus tetos, os pés direitos, os balaústres em pedra trabalhada, sugere vago sonho de uma cidade de «abastança»» . (Fundação Calouste Gulbenkian, pp. 918-919, 1965)

« Os espigueiros do Lindoso inserem-se no tipo de espigueiros estreitos e de paredes aprumadas, subdivi­dindo-se, no entanto, em quatro subtipos: 1) espigueiros todos de pedra, 2) mistos, 3) espigueiros com corpo e cobertura de pedra e ripado de madeira, 4) espigueiros com telhado de cápeas e guardavento. (...) Para além do Soajo, é aqui no Lindoso que se verifica a maior representação de espigueiros todos de pedra, não só pelo número abundante como pela sua qualidade. Concentram-se em torno de uma única eira, retangular, reve­lando a importância do trabalho coletivo próprio das comunidades de montanha». (IHRU)

Cruzeiro do Lindoso - Este cruzeiro está implantado junto aos espigueiros do Lindoso. É um cruzeiro granítico que encima elevado fuste, de base quadrangular.

Espigueiros de Cidadelhe - Acede-se à aldeia de Cidadelhe através da E.N. 203 (Ponte da Barca – Lindoso) seguindo, posteriormente, o caminho pedestre que entra na aldeia.

No interior da aldeia de Cidadelhe, encontramos um núcleo de espigueiros, dos séculos XVIII e XIX. Este conjunto é marcado pela excelência arquitectónica de alguns deles e pelo seu harmonioso enquadramento paisagístico. Utilizados para secagem e armazenagem de milho grosso, os espigueiros de Cidadelhe são estrei­tos, de granito, com planta retangular e paredes aprumadas. (IHRU)

Espigueiros de Parada na Eira do Tapado - Localizam-se em Parada, local acedido pela estrada nacional e caminho pedestre.

Representam um conjunto de vinte e um espigueiros, dispostos em torno de uma eira central, que datam dos séculos XVIII e XIX. Inserem-se na tipologia dos espigueiros do Lindoso, de granito, planta rectangular e pare­des aprumadas, servindo para secar e armazenar o milho grosso. Poder-se-ão encontrar exemplares com uma decoração bastante cuidada. (IHRU)

Espigueiros de Parada na Portela da Leija - Encontramos estes espigueiros, se seguirmos a partir da E.N. 203 (Ponte da Barca – Lindoso) em direcção à aldeia de Parada.

É um excepcional conjunto de espigueiros dos séculos XVIII / XIX, para uso agrícola. São estreitos e inteiramente em granito, com planta retangular e paredes aprumadas com fendas verticais. Poder-se-á, tam­bém, observar um espigueiro de fendas horizontais, constituindo um dos raros exemplares desta tipologia existentes em Portugal. (IHRU)

Gravuras Rupestres da Bouça do Colado - Próximo do lugar de Parada, seguindo pela E.N. 203 (Ponte da Barca – Lindoso)encontramos as gravuras rupestres pré-históricas da Bouça do Colado.

Gravuras em razoável estado de conservação, sendo de destacar uma composição monumental de cariz geométrico-simbólico. O centro da composição integra uma figura idoliforme, feminina, estando presentes a cabeça, os seios e o ventre. Em sete rochas circundantes existem gravuras constituídas por reticulados, círculos concêntricos e covinhas. (IHRU)

Gravuras Rupestres de Porto Chão - Acede-se às gravuras pela E.N. 203 até Lindoso, segue-se pela E.M. em direcção ao Muro.

No interior do povoado de Porto Chão, no lado Sudeste, estende-se um bloco granítico partido em dois que ostenta gravuras rupestres, essencialmente representando círculos concêntricos e covinhas. (IHRU)

Igreja do Lindoso - Pequeno templo de fachada em granito e torre sineira central.

Pardieiros de Porto Chão - Alcançamos os Pardieiros de Porto Chão, a partir da E.N. 203 (Ponte da Barca - Lindoso) até ao Lindoso. Depois, prossegue-se caminho pela E.M. em direção ao Muro.

É um povoado aberto de montanha, com provável origem medieval, que ostenta no seu interior, um penedo gravado com decoração, presumivelmente, da Idade do Bronze Antigo. O povoado é constituído por casas de planta rectangular dispostas em torno de um arruamento central. (IHRU)

Ponte de Santiago - Junto ao lugar de Parada está localizada a Ponte de Santiago. Esta ponte é, também, conhecida por Ponte de Parada, devido à designação do local em que se implanta. É de perfil em cavalete suave sobre arco de volta redonda, sendo uma construção medieval que sofreu algumas remodelações oitocentistas. (IHRU)